Como Funciona o Sistema do Peixes Cartilaginosos

A vida marinha é extremamente rica e possui peculiaridades bastante interessantes. É o caso dos peixes que integram a família dos cartilaginosos, na qual estão incluídos os tubarões, as arraias, e as quimeras. Embora, muitas vezes, sejam tidos como pertencentes às famílias dos selácios – são peixes oceânicos, que possuem esqueletos totalmente formados por ossos cartilaginosos, mas que estão cobertos por um tipo de tecido muito particular e específico – a cartilagem prisma.

Estes peixes, também conhecidos como ratos dos mar,  possuem um sistema de funcionamento diferente dos peixes menores e mais comuns. No que concerne à constituição exterior, a pele é rija, coberta com escamas que parecem-se com dentes – não apenas no formato, mas até mesmo na constituição, já que são compostas por placas de  dentina na própria derme e ainda recebe uma camada de esmalte. Os espinhos são orientados para trás; o mesmo acontece com as numerosas glândulas que fazem parte do sistema epitelial. Isto garante uma textura muito próxima a de uma lixa, o que confere ao peixe uma capacidade hidrodinâmico. Em algumas arraias ainda possuem grandes escamas espinhosas, enquanto tal característica não ocorre na maioria.

Já o sistema nervoso é formado por um encéfalo distinto,  órgãos sensoriais, que permitem ao peixe se localizar e farejar suas presas, mesmo quando estão distantes ou escondidas no fundo dos mares e oceanos. As narinas costumam estar localizadas ventralmente, nas extremidades da cabeça, que em geral, são arredondadas. Detectam todas as moléculas dissolvidas na água.

Os ouvidos possuem três canais semicirculares, que permitem um maior equilíbrio ao animal: isto parece curioso, mas é esta característica que faz com que eles possam nadar de forma reta. Os ouvidos estão dispostos de forma perpendicular.

Os olhos, cujas retinas contêm bastonetes, fornecem aos animais desta espécie, uma visão em preto e branco, mas com uma grande capacidade luminosa, o que permite com que eles enxerguem no escuro.

As bocas de peixes ratos são ventrais com fileiras de dentes, os quais estão revestidos de esmalte. Os dentes estão implantados na carne e não na mandíbula, e são substituídos sempre a partir da parte de trás da boca.

Dentre estes animais há diversos mitos, em particular os que rondam os tubarões, o que não deveria ocorrer. São animais carnívoros, mas há inúmeros outros presentes na natureza.