Saiba Mais Sobre o Peixe Bagre

Os peixes Bagre são designações consideradas comuns dadas para peixes de ordem Siluriformes na maioria da América do Sul.

Ao todo são reconhecidas mais de 2200 espécies deste tipo de peixe, classificadas em praticamente 40 famílias, somente duas delas, a Ariidae e Plotosidae, que possuem as espécies marinhas.

Estes peixes são encontrados em praticamente todo o mundo, mas a maioria das espécies conhecidas são da América do Sul. A grande maioria destes peixes possuem hábitos de vida noturnos, e vivem bem próximos ao fundo de águas escuras, e que são pouco profundas. Em sua maioria, são predadores, e se alimentam de outros peixes desavisados, bem como artrópodes e vermes.

Estes animais variam de espécies, e medem poucos milímetros até surgir o tamanho maior que é do Pangasiodon gigas, um dos maiores peixes de água doce do mundo já identificados.

Sobre o Bagre Africano.

O Bagre Africano por sua vez é uma das espécies mais conhecidas do mundo, e é conhecido como o monstro do brejo, com a capacidade incrível de ficar até 48 horas sem entrar em contato com a água. Quando ele foi descoberto, os pesquisadores achavam que ele era uma espécie de peixe tartaruga por suas patas e semelhança de pulmões com as tartarugas, o que conseguiu prender a respiração por pelo menos 24 horas embaixo d’água.

O misterioso poder de regeneração do bagre.

Saiba que o bagre africano é um animal extremamente forte, e ainda conta com grandes capacidades para regenerar as partes de seu corpo.

Caso um destes animais seja cortado em cinco partes, cada parte poderá se regenerar dando origem a outro animal.

A principal causa de mortes e da diminuição substancial da espécie em ambientes naturais, entre os bagres africanos é o atropelamento, este que acontece quando os peixes tentam atravessar as ruas durante as cheias.

 

Como Colocar Peixe Gato em Aquário

Peixes pertencentes às famílias dos siluriformes e presentes na maior parte da América do Sul, a nomenclatura “bagres” é bastante genérica para a espécie, uma vez que há uma diversidade de variações dentro da própria família. Trata-se de um dos peixes que apresentam bastante influência na cultura norte- americana, devido ao fato de a maioria desses peixes serem bastantes semelhantes às feições de gatos – tanto é que são chamados de “catfishes”. As mandíbulas dos bagres lembram muito as vibrissas dos felinos, e mais do que isto, curiosamente, também apresentam as mesmas funções que nos felinos.

Os bagres são peixes marinhos, agressivos, e que apresentam hábitos bastante peculiares. São peixes noturnos e que vivem em geral no fundo do mar, em áreas bem profundas. Há mais de 2200 categorias classificadas, que estão distribuídas em mais de 40 famílias. Basicamente, são peixes que podem ser encontrados em quase todo o mundo, mas há uma predominância na América do Sul, onde se originaram. Também são peixes predadores. Por isso, quem possui um aquário marinho – os de água salgada – e/ou um de água doce (bagres podem viver tanto em água doce quanto salgada), não podem misturar este peixe com outros, em particular se forem menores, pois certamente serão comidos pelos bagres. Gostam de se alimentar, em especial, de artrópodes e vermes. São classificados, portanto, como peixes não comunitários.

Dentre os bagres há alguns que são mais curiosos dos que outros. Uma espécie que pode ser tida como “exótica” é o peixe-gato asiático invertido. Trata-se de uma subespécie incomum e bem rara. Nadam de cabeça para baixo com o intuito de pegarem comida na superfície da água. Esses são peixes que podem crescer muito, portanto, quem deseja cultivá-los, deverá ter alguns cuidados muito específicos com eles.

Um bagre mantido em aquário necessita de muito espaço. Por isso, os reservatórios mais indicados são os que ficam entre 200 a 400 litros. Pense bem, portanto, antes de colecionar este tipo de exemplar. Os bagres podem chegar até 30 centímetros de comprimento. E se isto acontecer, necessitará de um aquário maior ainda.

Quem não quer comprar um exemplar em lojas especializadas e curte pescaria, tem a opção de criar algumas armadilhas – que não ferem os peixes – para atrai-lo e levá-lo para o aquário. Para quem não sabe, armadilhas com finalidades especificas, são permitidas em alguns locais. As armadilhas deverão ser certificadas e verificadas constantemente para que os peixes não sofram ocasionalmente qualquer tipo de ferimento.