Peixes de Água Doce do Brasil: Lambari

A vida na Terra é extremamente rica e possui peculiaridades bastante interessantes. É o caso do que acontece em particular na água, com as famílias dos peixes. Embora, muitas vezes, sejam tidos ainda como comuns, os peixes ainda são uma descoberta constante para os pesquisadores que, a cada ano, descobrem mais e mais sobre a vida na água.

Estima-se que somente no Brasil haja mais de 25.000 mil espécies de peixes de água doce. Isto se deve ao fato de haver uma grande diversidade geográfica, do habitat, e da forma de alimentação de grande parte dos peixes, o que também provoca grande variação entre as próprias espécies existentes. Mas segundo os especialistas, o que melhor pode ser observado entre as variedades de espécies é quanto ao comportamento, que varia muito entre elas.

É no ambiente aquático que os peixes realizam todas as suas funções vitais, como alimentação, crescimento, reprodução, eliminação de fezes e urina, além de outras tantas. Os peixes que vivem em água doce são chamados de ectotérmicos – significa que eles possuem temperatura corpórea igual ao do ambiente em que vivem.

O lambari é um exemplo desse tipo de peixe. Popularmente chamado de piaba, é muito comum de ser encontrado em mesas de botecos, na forma frita, para servir de aperitivo. É um peixe muito consumido em locais praieiros, botecos e nas regiões do norte e nordeste do Brasil. Pertencente à família dos astyanax bimaculatus, pode ser encontrado na extensão total do país. Habita lagos, rios, represas, riachos e até locais onde haja cachoeiras. Possui alimentação bem simples – frutos, sementes, escamas, ovócitos, e até mesmo de outros peixinhos; também comem insetos terrestres que pousem nas águas habitadas. Portanto, é classificado como onívoro e detritívoro.

 

Diferentemente de outras espécies, os lambaris não sobem as águas dos rios para efetuar a sua reprodução. A fecundação é externa e nenhum dos pares se torna responsável pelos ovos. O lambari é classificado como peixe de escamas. Ele possui uma coloração acinzentada e, por conta disso, não costuma ser atraente para ser cultivado em aquários e reservatórios. Apenas as nadadeiras sofrem alternância na coloração: varia entre vermelho, amarelado, e preto. O corpo é alongado, fino, e pouco comprido. Um lambari não mede mais do que 8 a 9 centímetros de comprimento.

 

Os lambaris possuem duas nadadeiras, também duas manchas próximas ao peitoril, em forma de clava. A cauda é mediana.