Peixe Beta: Como Cuidar do Peixe Beta

Muitas pessoas que curtem ter animais de estimação em casa, acabam optando por ter aquários simples, por estes serem relativamente fáceis de cuidar e não exigirem muito espaço. Em tempos de moradias pequenas, isto é mais do que aceitável. A opção acaba se estendendo também aos peixinhos, já que não são quaisquer tipos de peixes que se adequam a todos os tipos de aquários. Uma escolha que está entre as preferidas por atender às condições de facilidades no trato é pelo aquário simples, que não acomode mais de um litro de água e com um filtro que possa promover uma boa oxigenação da água.

Os betta splendens, também conhecidos como “bettas” e/ou “peixes de briga siameses” são originários da Tailândia. Lá, estes peixinhos vivem em arrozais, e por esta razão, são altamente adaptados à vida ambiente, já que as águas onde habitam costumam ser bem rasas, porém bastante espaçosas. Esta característica permite perceber que, para cuidar de um betta não é necessário um aquário gigante, mas que tenha um certo “espaço” para que a vida deste animal seja relativamente adequada às suas necessidades. O betta também é bastante conhecido por conta de sua agressividade e interatividade. O custo no mercado é baixo e cuidados, como já foi observado, pouquíssimos.

Esta espécie de peixe pode viver por até 4 anos se os cuidados exigidos com ela forem totalmente atendidos. Os peixes bettas não podem ser colocados com outros tipos de peixes dentro de um mesmo aquário, pois são altamente territorialistas. A briga será certa. Como o habitat natural são os arrozais, eles gostam muito da presença de plantas reais em aquários. Acessórios diversos também são permitidos.

Embora sejam bastante populares, não há lá grandes informações sobre os bettas, em particulares nos locais onde são comercializados, o que é uma grande incoerência. Eles possuem cores brilhantes, numa larga variedade, mas o azul e o vermelho predominam. Nadam rapidamente dentro do aquário, embora permanecem por horas a fio parados no fundo do viveiro. Eles são receptivos, gostam da presença de pessoas, contudo, como em todo o mundo animal, cansam-se e precisam de um tempo de descanso. Por isso, não se deve bater no vidro do aquário na tentativa de despertar o peixinho.

Também é importante verificar barbatanas, brilho dos olhos e das escamas, antes de fazer a aquisição do peixinho. A aparência dele reflete a saúde e o tempo de vida que ele terá.