Peixe Betta, Lindo Peixe Ornamental

Os Peixes Betta são originados da Ásia e foram introduzidos na Europa a partir do ano de 1890. Foi durante esta época que começaram a aparecer no mercado dos peixes para aquários. Com a sua chegada nos Estados Unidos, esta aconteceu apenas alguns anos mais tarde.

Apenas algum tempo depois tanto na Europa como na América do Norte é que os aquaristas foram criando e obtendo lindos e coloridos peixes Betras que existem atualmente.

São peixes ornamentais excelentes para aquários de água doce, e são conseguidas variedades já fixadas e de grande beleza quanto a sua reprodução, tudo devido as suas tonalidades firmes.

Os cuidados diários com o peixe Betta.

É muito importante que possa ficar de olho na temperatura da água, e por isso tome muito cuidado com a superfície, esta que deverá estar totalmente livre das poeiras, sujeiras, ou algo que possa impossibilitar os peixes Bettas de respirar ar atmosférico. E caso eles não chegarem perto da superfície poderão morrer afogados.

Quanto ao comportamento do peixe beta podemos citar:

Os machos são agressivos, até mesmo com outros machos, lutando até a morte. Com outras espécies eles poderão se tornar tímidos e dificilmente podem os atacar.

As fêmeas por sua vez, poderão viver bem em aquários considerados comunitários ou mesmo com outras fêmeas, mas precisam ter um grande espaço pois são muito territoriais e poderão se tornar agressivos.

A grande beleza dos peixes Bettas está em suas cores, pois podem ter vários matizes e misturas deles, como o marrom, o roxo, o vermelho, amarelo, preto, branco, albino, azul, azul celestial, e fora outras combinações.

É importante que se possa exercitar todos os dias seu peixe betta, deixando ele se olhar no espelho ou para outro macho durante dois períodos de 30 minutos para as nadadeiras se esticarem e crescerem de forma mais bonita.

 

Conheça o Peixe Bótia-Palhaço, Peixe Ornamental Para Seu Aquário

O peixe Bótia Palhaço é um peixe criado como um animal de estimação nos aquários, e este é um dos integrantes mais bonitos e coloridos do gênero Botia.

Este é um peixe que chama muito a atenção devido a todo o seu contraste formado por listras verticais, o que possui um corpo com coloração avermelhada em nadadeiras, o que lhe rende um apelido de Coridora de luxo.

O contrário dos outros tipos de bótias, a Bótia macracantha se demonstra muito ativa quando está em grupo, o que torna fundamental ter pelo menos três indivíduos deste peixe no aquário, do contrário se mostra como m peixe tímido e assustadiço, o que passa o dia escondido.

Da origem do Peixe Bótia Palhaço.

Com relação a origem do peixe bótia palhaço, podemos citar que ele é localizado na Tailândia, na Malásia e Java, se trata de um peixe bastante pacífico, e que costuma geralmente atingir em torno de 15 cm em aquários e 30 em ambiente natura. Por isso o aquário deste peixe precisa ter pelo menos 200 litros de água, e além de tudo isto, as plantas e troncos criam refúgios, estes que são muito apreciados com um PH entre 5,0 e 7,5 e a temperatura entre 24 e 30°C.

Do habitat do Peixe Bótia Palhaço.

Enquanto que as espécies menores não geram maiores danos para as plantas, é possível que elas habitem um aquário plantado sem problemas, sendo até mesmo útil pois a sua boca é prolongada e permite que o peixe bótia encontre restos de rações escondidas entre folhas e em ambientes de difícil acesso.

Sua alimentação precisa ser basicamente de ração em flocos, caramujos, artêmias salinas, dáfnias, entre outras rações. Apesar de ser um predador de caramujos, os aquaristas por sua vez precisam ter em mente que se houver outros alimentos em abundância ele irá perder parte do interesse por eles.

 

Tipos de Peixes Para Aquários Marinhos

Há uma diversidade de espécies que podem ser postas nos aquários. Isto serve tanto para os de água salgada quanto de água doce. Vale, para a escolha, o gosto pessoal e os cuidados que cada espécie irá demandar aos seus futuros donos.

Um grupo de peixes que pode ser bastante interessante de se ter num aquário marinho é o do peixe conhecido “anjo marinho”. Estes são considerados peixes ornamentais, lindíssimos e de fácil trato. Comem quase todo o tipo de alimento. Em contrapartida, são não comunitários, o seja, territorialistas e não podem ser colocados com outras espécies. Certamente, irão morder os peixes menores, ou até mesmo comê-los.

Ainda há um outro inconveniente: costumam ser peixes caros, e raros de serem encontrados. Isto se deve ao fato de que são muito resistentes e vivem em corais. Vão da coloração alaranjada e brilhante, com o final do corpo com um uma faixa azulada, também muito brilhante. O ideal é que sejam comprados ao menos  dois exemplares para o aquário – eles devem viver em pares.

 

Aquário Ideal Para o Peixe Borboleta

Os peixes borboletas são conhecidos pela beleza que apresentam. Brilhantes, coloridos, são peixes de água salgada, provenientes de recifes de corais, que exigem cuidados muito específicos ao serem colocados em um aquário. Primeiro, porque não são tão pequeninos quanto os peixes mais comumente encontrados nos aquários de água doce. O que leva a deduzir que precisam de aquários com mais de 200 litros de água. A escolha pelo tamanho do aquário vai depender da sub espécie a que pertencerá o peixe-borboleta a ser adquirido.

Os biólogos acreditam que haja mais de 100 espécies de peixes-borboletas nos mares onde costumam viver. Originário das águas do Atlântico tropical, possui nome científico haetodon striatus, é uma espécie de peixes tropicais marinhos da família chaetodontida. No Brasil, também é popularmente conhecido como beijo-de-moça, borboleta-listrado, carapiaçaba, castanhola, freire, paru, paru-mulato, parum, peixe-borboleta e quebra-prato. Seu nome se deve às cerdas encontradas nos membros da espécie. Podem ser encontrados ainda na costa  nordeste dos Estados Unidos.

Cada subespécie do peixe borboleta possui uma necessidade especial de espaço, por conta não apenas do crescimento, mas também por serem peixes ativos que “circulam” muito no interior do aquário. O recomendável é que o aquário onde este peixe será colocado tenha, pelo menos 208 litros, de acordo com a comunidade aquática.

E não é apenas em relação ao tamanho do reservatório que o aquarista deverá se atentar. Os peixes-borboletas precisam de alimentação bastante adequada. São exigentes e não se alimentam com qualquer ração ou peixinhos desidratados. E se alimentação não estiver adequada, bem como o espaço para quem possam nadar, eles podem chegar até mesmo ao óbito.

Antes de adquirir um exemplar, todos os especialistas recomendam: leia muito sobre o peixe-borboleta. Não são peixes, de uma espécie fácil de ser tratada, não se adequam a todo o tipo de espaço,  requerem uma temperatura próxima a do habitat natural, e não vivem em comunidade. Portanto, outros peixes podem vir a sofrer ataques por parte do borboleta, em particular se forem menores. O ideal mesmo é que o aquário possua mais de 285 litros. Também vale lembrar que, por serem peixes oriundos do universo marinho, precisam terem em seus aquários plantas e outros acessórios que remetam ao habitat natural. Não é possível colocar mais do que um exemplar num aquário, e se o reservatório for o primeiro a ser montado pelo aquarista, é melhor buscar uma outra opção de peixe.

Tipos de Peixes Que Podem Ocupar Aquários de Até 40 Litros

Nem todos os tipos de peixes podem ser colocados em qualquer tipo de aquário. Este é outro erro comum entre aqueles que se iniciam no aquarismo. Os peixes necessitam de espaço adequado para que o seu desenvolvimento se dê de acordo com a sua espécie. Também não se deve lotar um aquário com um número exagerado de peixinhos pequenos, apenas porque, aparentemente, eles não demandam de espaço, alimentação, oxigênio e nutrientes. Tudo isto deverá ser avaliado antes de qualquer compra de equipamentos.

Algumas considerações, portanto, devem ser realizadas. Os peixes quando são adquiridos costumam ser “jovens”. Isto significa dizer que irão ter um crescimento de acordo com a sua natureza. Certos peixes indicados para aquários de água doce podem ficar entre 2,5 centímetros a  25 centímetros quando estão na fase adulta. Por isso, peixes dourados, por exemplo, não são adequados para tanques com 40 litros. Por outro lado, os peixes da espécie tetra, embora sejam pequenos, são hiperativos e precisam de bastante espaço para se locomoverem. Também não podem ser postos em tanques pequenos. O mesmo vale para aquários cuja finalidade for a reprodução e não a vivência dos peixes.

Peixes Para Aquários de Até 40 Litros

Nem todos os tipos de peixes podem ser colocados em qualquer tipo de aquário. Este é outro erro comum entre aqueles que se iniciam no aquarismo. Os peixes necessitam de espaço adequado para que o seu desenvolvimento se dê de acordo com a sua espécie. Também não se deve lotar um aquário com um número exagerado de peixinhos pequenos, apenas porque, aparentemente, eles não demandam de espaço, alimentação, oxigênio e nutrientes. Tudo isto deverá ser avaliado antes de qualquer compra de equipamentos.

Não se deve colocar qualquer tipo de peixe em qualquer tipo de aquário. Considerar-se-á que os peixes são adquiridos ainda muito jovens e vão se desenvolver. Alguns peixes de aquário de água doce podem chegar a vida adulta a medir até 25 centímetros. Um desses, jamais poderá ser colocado em um reservatório de 40 litros.

Peixes com barbatanas curtas, coloridos e pequenos são sempre os mais aconselháveis. Além de chamarem muito a atenção por conta do brilho e da cor, costumam ter uma vida muito ativa e se movimentarem com ligeireza dentro dos aquários. Uma espécie ainda pouco conhecida que foi obtida graças à manipulação genética, o glo-fish, apresenta umas linhas fluorescentes pretas que, ao receberem luz, brilham um diamante negro. Uma boa opção.

 

Peixes Exóticos e Corais Moles Para Aquários de Iniciantes

Quem opta por um aquário de água salgada, também terá a opção de colocar em seu interior corais moles. Esta tipologia de corais é bastante resistente e possui um custo bem abaixo dos duros. Mas é importante que tubos de luz sejam instalados no reservatório. Dois ou mais tubos de luz T8, duas ou mais T5S ou iluminação de iodetos metálicos. Além disso, é importante o fornecimento de fluxo de água moderado a forte, cerca de 10 vezes o volume do tanque por hora, mas isto deverá ser realizado através do sistema chamado powerheads (são bombas submersíveis universais).

Outra possibilidade são os pólipos estrela. De coloração verde brilhante que cresce em uma estrutura de coloração roxa, ele se espalha bem rapidamente através do reservatório. Muitos aquaristas costumam até mesmo colher este tipo de coral e revender, uma vez que a demanda costuma ser bem grande. Eles gostam de plânctons (uma espécie de invertebrados), necessitam de luz, ajudam a manter, inclusive os tanques livres de sujeiras.

Opções de peixes não faltam para serem escolhidos para aquários de quem está sendo iniciado na arte. Peixes –palhaços são bonitos, resistentes e comunitários. Podem viver em cativeiro – e hoje já são criados dessa forma, para que doenças ou propensões à morte sejam minimizadas. Castanheira também é outra possibilidade.  Este peixe é de custo bem baixo, e facilmente encontrado em lojas especializadas. São compatíveis com outras espécies de peixes, e também são comunitários. A alimentação é bastante variada, indo dos alimentos frescos aos flocos. O mesmo serve para o peixe palhaço.

Uma boa ideia é colocar junto a eles camarões limpadores. Eles possuem coloração que vai do branco ao vermelho. A ideia de colocar os camarões é que eles promovem um tipo de limpeza nos peixes. Eles sobrem nas costas dos peixes e removem parasitas e restos de peles, e, dessa forma, acabam mantendo o reservatório limpo.

Acará Disco: Peixe Ornamental Acará Disco

Peixes ornamentais vivem bastante. Em particular os que estão postos em reservatórios pequenos. Costumam vivem em média de 4 a 6 anos, como é o caso dos Bettas, que embora sejam peixinhos considerados comuns, estão na categoria dos ornamentais, devido à variedade de cores que eles possuem.

Os ornamentais de água doce também são conhecidos por serem pequenos, logo não necessitam de reservatórios muito grandes. Adaptam-se bem nos que podem receber de 5 a 50 galões de água. Use sempre tampas, pois eles, em geral, são saltadores, e podem cair do aquário. Não coloque mais de 80% de água no total do vidro.

Já os peixes ornamentais grandes costumam chamar mais a atenção. E, caso o peixe escolhido seja comunitário, não se deve colocar vários exemplares num mesmo reservatório. Como o próprio nome, os ornamentais grandes de agua doce são bastante exibidos.

Existem alguns peixes ornamentais de água doce que são bastante conhecidos do público em geral, e estes, costumam também ser os mais preferidos dos aquaristas iniciantes. O Peixe Betta e o Peixe Kinguio. Existem muitos peixes ornamentais, dos mais variados tipos, tamanhos, preços, cores, características.

Além desses dois, é possível ver um outro que é muito conhecido por suas lindas cores e seu alto preço: o Acará Disco. Embora existam inúmeras espécies de peixes ornamentais, o acará disco costuma ser uma das espécies procuradas. Acontece que cada exemplar pode chegar ao custo de mais de R$1.500,00, cada. Filhotes de acará podem ser encontrados por módicos R$ 50,00 – e os já mais crescidos até por R$1000,00. Mas em viveiros, onde há a prática da revenda, não se anime: o preço costuma ser sempre o maior mesmo. Isto, em particular, se não forem adquiridas mais de uma unidade.

O acará disco é, por aquaristas de renome, considerado o peixe ornamental mais bonito de água doce. Nada com velocidade e graça, apresenta uma variedade enorme de cores – há uma subespécie que é albina e chama muito a atenção quando nada num aquário grande.

Não se trata de um peixinho de pequeno porte. Ele poderá alcançar até 20 centímetros de comprimento, dependendo das condições em que vive. Precisa de alimentação específica – boa ração, larvas e outros peixinhos menores.

Entre outros exemplares de peixes ornamentais de água doce estão os Abramites, Acará Bandeira, Acará Bererê, Acará Disco, Anóstomo, Apaiari, Auratus, Bagrinho, Barbatanas Vermelhas, Beijador, Borboleta de Asas Pretas, Borboleta Pintada, Carpa, Cascudo, Chalceu, Colisa, Coridora Bronze, Coridora Leopardo, Cruzeiro do Sul, Dânio e o Engraçadinho.

Peixes não comunitários: Como Cuidar

Para quem quer ter um peixinho como animal de estimação em casa, em particular alguns tipos de peixes, precisa saber quais cuidados deverá manter com o aquário em que estes serão colocados. Embora muitas pessoas apenas comprem reservatórios pequenos e coloquem os peixes dentro, não basta apenas prepará-los de forma muito simples. É essencial que alguns procedimentos sejam realizados antes da chegada dos peixes aos seus “futuros lares”, para que o sucesso em se montar um aquário seja percebido. E grande parte dos que montam aquário, acabam fracassando, justamente por não ter informações adequadas, saem para comprar material e nem ao menos pesquisam para saber que tipo de peixe se aqueda a que tipo de aquário.

Sim, é isto mesmo. Para cada tipo de aquário há um tipo de peixe adequado. Por exemplo. Existem, basicamente, dois tipos de aquários, os de água doce e os de água salgada. Para cada um, há certas variedades de espécies. Cada tipo de aquário, há um subtipo – os de água doce, são, basicamente os aquários plantados e os comunitários. Já os marinhos, podem ser divididos em três categorias: os destinados apenas aos peixes, os destinados a manutenção de invertebrados e os que reúnem as duas modalidades anteriores. Estes são chamados de mini reefs.

Para quem irá montar um aquário de água doce, basicamente, há três tipos de peixes que podem ser escolhidos para preencher o vidro: os peixes comunitários, os semi – agressivos e os não- comunitários.

Os não comunitários, como o próprio nome diz, não podem viver em comunidade. Eles devem ser mantidos sozinhos dentro dos aquários, uma vez que comem os peixes menores – os não comunitários em geral são peixes maiores, chamados de grande porte. Um exemplar muito conhecido dessa classificação é o peixe Oscar –são altamente agressivos com peixes menores por serem territorialistas. O peixe Oscar costuma crescer bastante e deve viver em tanques relativamente grandes, com mais de 340 litros de água em seus reservatórios. Eles precisam de espeçao para terem um desenvolvimento adequado à espécie.

Outro exemplo de peixe não comunitário é terror – verde. Como o próprio nome sugere, eles são terríveis mesmo. Comem sem nenhuma piedade qualquer que seja o exemplar menor colocado junto a ele. Não se deve arriscar, portanto, colocar qualquer que seja um desses exemplares juntos. O aquário ficará vazio.

Todos estes podem ser alimentados com outros peixes menores, de preferência os peixinhos dourados.

Peixes Ornamentais de Água Doce

Peixes ornamentais vivem bastante. Em particular os que estão postos em reservatórios pequenos. Costumam vivem em média de 4 a 6 anos, como é o caso dos Bettas, que embora sejam peixinhos considerados comuns, estão na categoria dos ornamentais, devido à variedade de cores que eles possuem.

Os ornamentais de água doce também são conhecidos por serem pequenos, logo não necessitam de reservatórios muito grandes. Adaptam-se bem nos que podem receber de 5 a 50 galões de água. Use sempre tampas, pois eles, em geral, são saltadores, e podem cair do aquário. Não coloque mais de 80% de água no total do vidro.

Já os peixes ornamentais grandes costumam chamar mais a atenção. E, caso o peixe escolhido seja comunitário, não se deve colocar vários exemplares num mesmo reservatório. Como o próprio nome, os ornamentais grandes de agua doce são bastante exibidos.

Existem alguns peixes ornamentais de água doce que são bastante conhecidos do público em geral, e estes, costumam também ser os mais preferidos dos aquaristas iniciantes. O Peixe Betta e o Peixe Kinguio. Existem muitos peixes ornamentais, dos mais variados tipos, tamanhos, preços, cores, características.

Além desses dois, é possível ver um outro que é muito conhecido por suas lindas cores e seu alto preço: o Acará Disco.

O betta é o mais comum conhecido entre todos. De pequeno porte, pertencente a categoria dos agressivos, portanto, não comunitários, este peixinho é originário da Tailândia. Há uma diversidade de modelos e cores, muito exóticos até. Não exige grandes cuidados, é fácil de ser alimentado e seu custo é relativamente baixo. Pode viver por muitos anos. Sua cauda alongada garante que ele nade de forma bastante suave. Não se pode colocar dois bettas num mesmo aquário, já que são territorialistas. O peixe betta fêmea costuma ser menor do que o exemplar macho.

Outro peixe ornamental bastante conhecido é o kinguio. Eles lembram, alguns tipos é claro, às carpas. Outros, apresentam uma “bola na região da cabeça”. São muito comuns e fáceis de serem vistos em aquários de modo geral. Recebem ainda, aqui no Brasil, a alcunha de peixes japoneses. Os kinguios podem viver até 30 anos, quando não são cuidados em aquários. Chegam a medir cerca de 10 centímetros cada exemplar. Deve-se tomar cuidado com os peixes que serão colocados juntos a ele no aquário ou lago. Em geral, combinam bem com carpas.