Peixes: A Piranha Preta

A vida na Terra é extremamente rica e possui peculiaridades bastante interessantes. É o caso do que acontece em particular na água, com as famílias dos peixes. Embora, muitas vezes, sejam tidos ainda como comuns, os peixes ainda são uma descoberta constante para os pesquisadores que, a cada ano, descobrem mais e mais sobre a vida na água.

Estima-se que, somente no Brasil, haja mais de 25.000 mil espécies de peixes de água doce. Isto se deve ao fato de haver uma grande diversidade geográfica, do habitat, e da forma de alimentação de grande parte dos peixes, o que também provoca grande variação entre as próprias espécies existentes. Mas segundo os especialistas, o que melhor pode ser observado entre as variedades de espécies é quanto ao comportamento, que varia muito entre elas.

É no ambiente aquático que os peixes realizam todas as suas funções vitais, como alimentação, crescimento, reprodução, eliminação de fezes e urina, além de outras tantas. Os peixes que vivem em água doce são chamados de ectotérmicos – significa que eles possuem temperatura corpórea igual ao do ambiente em que vivem.

Nesse ambiente, há diversos peixes de nomes e mitos curiosos. Um deles é o peixe piranha preta. Conhecido popularmente com o mesmo nome, pode ser encontrado em diversos locais – Bacia Amazônica, Araguaia e Tocantins.

Peixe típico de águas brancas ou bem escuras, habita lagos, riachos, rios, e pode viver em tanques de viveiros. Costuma também ser encontrado em águas de florestas inundadas.

Os peixes piranhas pretas podem, de fato, atacar alguns animais terrestres. Mas não se tem conhecimento de que ataquem humanos sem que haja sinais de sangramentos. Eles, assim como outros de suas espécies, são atraídos pelo cheiro do sangue. Alimentam-se, comumente, de outros peixes e de animais invertebrados que vivam em suas águas. Não são peixes comunitários, ao contrário, são bastante agressivos com outros peixes, são considerados frenéticos e de apetite voraz. Possuem dentes muito afiados e que ficam para fora de suas mandíbulas.

Reproduzem-se em épocas de chuvas. São peixes de escamas, com corpo em formato romboide, e são até compridos. A coloração é bastante uniforme, num tom acinzentado, chegando a ser preto em exemplares adultos. Podem alcançar até 40 centímetros de comprimento e chegam a pesar 4 quilos. Bastante consumido pelas comunidades do norte do país.

O peixe piranha preta é considerado o maior peixe piranha da Amazônia.